REVISTA TRIPLOV
de Artes, Religiões e Ciências
ISSN 2182-147X
NOVA SÉRIE

 

 

 

 

 

 
 

A.M. GALOPIM DE CARVALHO

 
 
 
Alentejanos  
O avô e os netos falam de Geologia
O mocho, a pega e o papagaio falam de minerais, rochas e fósseis
Tectónica global
“Arriba” versus “Falésia” e outras considerações a propósito
Mais do que a morte, assusta-me a solidão dos velhos
Liberdade e cidadania
Razão versus Fé, uma dialética da Idade Média
Outono
Já começou o novo ano lectivo
Geologia e o novo ano lectivo
Oitentose
Ainda o caso das viagens pagas pela GALP
CAMINHOS DA MINERALOGIA
1. Na Antiguidade
Cultura geológica e ensino da Geologia
Ontem e hoje na saúde, em Portugal
Sedimentologia
Superfícies de aplanação, uma inevitabilidade do campo gravítico terrestre
A propósito da homenagem a Mário Ruivo
«O chão que nos dá o pão»
Programas e manuais escolares
Sobre o ensino da Geologia em Portugal
Climas e paisagens
As pedras e as palavras
É preciso elevar a cultura geológica dos portugueses
A cor dos minerais
Creme de alho e pimento encarnado
Minerais e cristais
Do pequeno sol abortado à acreção de planetesimais
A arte dos sabores
...onde a terra se acaba e o mar começa
José Mariano Rebelo Pires Gago (1948-2015) 
O Padre Lima
Quo vadis Portugal?
Alentejanos
2015 - Ano Internacional dos Solos
Cante alentejano
Aromas e sabores do Alentejo
Um planeta rochoso

Calcretos

As mochilas escolares, um grave problema de saúde pública
Há sempre sol e céu azul acima das nuvens
Os serões em Évora, nos anos 30 e 40
Um diálogo sobre a alma
Os ralhos do Pai do Céu
A propósito do Dia do Geólogo
RECEITAS GALOPIM - Torradas com azeite, açúcar e canela  
O Museu do Marceneiro
O Grande Rio do Sul   
Porta Nova (Évora), anos 40
O porco alentejano
A Dona Almerinda
Fernando Catarino - Insigne botânico e grande senhor da palavra

Há 60 anos, na Vendinha  

Sabores e cantares
“E assim, acontece”
Sapateiro em Paris
O Alentejo na obra de Antunes da Silva  
«Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades»
Sílex, a primeira matéria-prima
Planeta azul
Lapis phylosophorum
Zé Grande, o meu amigo feitor
O Herculano
In memoriam de Urbano Tavares Rodrigues
Xerém de marisco de coentrada

Sopas de pão molhado

Gastronomia alentejana

Em memória do «capitão» de Abril António Marques Júnior

Na primeira pessoa : Palavra de Sénior de Galopim de Carvalho
Parabéns, Fernando Catarino
Biodiversidade e geodiversidade

As primeiras reguadas

Jean-Baptiste Louis Romé de l'Isle (1736 - 1790)

Literatura à mesa, depois do jantar

Irmãos da Pureza

Armando Antunes da Silva (1921-1997)

Alentejo e alentejanos

A Dona Aurora

Léon Paul Choffat

Museu do Quartzo

A Festa

Alquimia e alquimistas

Inspecção sanitária na caserna

2012

A aventura da Terra

1383-85 VERSUS 1974

PROPOSTA DE UMA SÉRIE DE TEXTOS SOBRE ROCHAS SEDIMENTARES

LISBOA, GEODIVERSIDADE E GEOCONSERVAÇÃO

O QUE ELES FIZERAM PELAS CIÊNCIAS DA TERRA:
Jean Louis Rodolphe Agassiz

RODELINHAS DE FARINHEIRA FRITAS

ORLANDO RIBEIRO

COZIDO DE ENTRECOSTO COM GRELOS DE NABO

2011

PURÉ DE MAÇÃ REINETA
O MUSEU NACIONAL DE HISTÓRIA NATURAL E OS DINOSSÁURIOS
GUADIANA ANTES DE ALQUEVA
ALGUNS ASPECTOS DA GEOLOGIA DO ALENTEJO
ONDE A TERRA SE ACABA E O MAR COMEÇA
DINOSSAURO OU DINOSSÁURIO?
DINOSSÁURIOS EM PORTUGAL - Com PEDRO DANTAS
CiÊNCIA E SOCIEDADE
NOUVELLE TECHNIQUE D'ETUDE GRANULOMETRIQUE
DES GALETS SUR LE TERRAI
N
MALACOSTRACA (CRUSTACEA)
BRYOZOA
O SAL NA HISTÓRIA DA TERRA E DO HOMEM
AS ROCHAS
O AR E OS SERES VIVOS
A GLOBALIZAÇÃO DA COMUNICAÇÃO ... (ENTREVISTA)
TONG XI FIONG
A ÁGUA E OS SERES VIVOS
HOMO SAPIENS
MINA DA GUIMAROTA (LEIRIA)
DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA E DEMOCRACIA
UM MILHÃO DE ANOS, UMA MIGALHA NO TEMPO DA TERRA

E DARWIN TINHA RAZÃO
LER NAS ROCHAS
O PAPEL DO MNHN NA SALVAGUARDA DO PATRIMÓNIO GEOLÓGICO
A EXCEPÇÃO QUE FAZ A REGRA
ENTREVISTA A A.M. GALOPIM DE CARVALHO
"
CARNÍVOROS"
OS DINOSSÁURIOS NA HISTÓRIA
A EXTINÇÃO DOS DINOSSÁURIOS
NEPTUNISTAS, VULCANISTAS E PLUTONISTAS
O TEMPO EM GEOLOGIA
CIÊNCIA E COMUNICAÇÃO
PEDRAS E PALAVRAS
OS MINERAIS
NOT GUILTY
GRANDE SUSTO
A ÁRVORE GEOLÓGICA
...COM POEJOS E OUTRAS ERVAS
BIBLIOGRAFIA DE A. M GALOPIM DE CARVALHO

A.M. Galopim de Carvalho. É professor catedrático jubilado pela Universidade de Lisboa, tendo assinado no Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências desde 1961. É autor de 21 livros, entre científicos, pedagógicos, de divulgação científica e de ficção e memórias. Assinou mais de 200 trabalhos em revistas científicas. Como cidadão interventor, em defesa da Geologia e do património geológico, publicou mais de 150 artigos de opinião. Foi diretor do Museu Nacional de História Natural, entre 1993 e 2003, tempo em que pôs de pé várias exposições e interveio em mais de 200 palestras, pelo país e no estrangeiro.
Blogue: http://sopasdepedra.blogspot.com/

 

 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano