. Adelto Gonçalves .


 

 

 

 

 


 

 

Machado de Assis ganha edição em russo
com prefácio de professor brasileiro

 



O Centro Lusófono Camões da Universidade Pedagógica Estatal Hertzen, de São Petersburgo, com o apoio da Embaixada do Brasil em Moscou, acaba de lançar em edição bilíngüe russo-português doze contos de Machado de Assis (1839-1908), com prefácio do jornalista, professor e escritor Adelto Gonçalves, doutor em Letras pela Universidade de São Paulo.
Da edição preparada pelo professor Vadim Kopyl, responsável pelo Centro Lusófono Camões, constam doze contos — "Uns braços", "O caso da vara", "O Espelho", "Uma senhora", "A senhora do Galvão", "A sereníssima República", "A igreja do diabo", "O enfermeiro", "A causa secreta", "D.Paula", "Entre santos" e "Um apólogo" —, todos traduzidos pela primeira vez em russo.

Segundo o professor Kopyl, Machado de Assis é o melhor contista do mundo lusófono e não podia continuar desconhecido do povo russo. "Por isso, este trabalho é considerado por nós de suma importância", disse, lembrando que o Centro Lusófono Camões se sente muito honrado com a participação do professor Adelto Gonçalves. Ainda neste ano, o Centro Lusófono Camões, com o apoio da Embaixada brasileira, pretende lançar outra edição com mais 13 contos de Machado de Assis, igualmente com prefácio do professor Adelto Gonçalves.

Kopyl disse ainda que a edição, embora bem produzida, não tem fins comerciais. "Mas tenho certeza de que estes livros encontrarão leitores entre aqueles que estão aprendendo português e serão importantíssimos para autodidatas", disse. "Espero que estes tesouros da cultura luso-brasileira sejam conhecidos por um círculo de leitores mais amplo", acrescentou.

Adelto Gonçalves é mestre em Língua Espanhola e Literaturas Espanhola e Hispano-americana e doutor em Literatura Portuguesa pela Universidade de São Paulo e autor de Fernando Pessoa: a Voz de Deus (Santos, Editora Universidade Santa Cecília, 1997), Gonzaga, um Poeta do Iluminismo (Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1999), Barcelona Brasileira (Lisboa, Nova Arrancada, 1999; São Paulo, Publisher Brasil, 2002) e Bocage: o Perfil Perdido (Lisboa, Caminho, 2003), entre outros.

É colunista do suplemento semanal Das Artes Das Letras do jornal O Primeiro de Janeiro, do Porto, do Diário dos Açores, de Ponta Delgada, de O Liberal, de Cabo Verde, e colaborador das revistas Vértice, Colóquio/Letras e Metacrítica, de Lisboa, Forma Breve, da Universidade de Aveiro, Cultura Revista de História e Teoria das Idéias, da Universidade Nova de Lisboa, e Letteratura-Tradizione, da Universidade de Perugia, Itália.

No Brasil, escreve em publicações acadêmicas como Metamorfoses, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e Revista do Centro de Estudos Portugueses, da Universidade Federal de Minas Gerais, e nos jornais A Tribuna, de Santos, A Tarde, de Salvador, Jornal do Brasil, do Rio de Janeiro, Gazeta Mercantil, de São Paulo, e Jornal Opção, de Goiânia, entre outros. Foi redator e editor durante dez anos de O Estado de S.Paulo, tendo trabalhado ainda na Editora Abril, Empresa Folha da Manhã e A Tribuna, de Santos.

É sócio-correspondente da Academia Brasileira de Filologia e professor titular de Jornalismo da Universidade Santa Cecília (Unisanta) e do Centro Universitário Monte Serrat (Unimonte), de Santos, São Paulo.

 
 
 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano