JORGE MAXIMINO..
Philosophie et modernité dans l'oeuvre poétique
d'António Ramos Rosa
Linguagem, Experiência e Tempo na obra narrativa de Vergílio  Ferreira
 
 
 
 
 

Jorge Augusto Maximino é professor, doutorado pela Universidade de Paris IV-Sorbonne, escritor e investigador em literatura, estética e teoria da cultura. Foi bolseiro da F.C.T. entre 2005 e 2008 pelos trabalhos de investigação para a sua tese sobre Filosofia e Modernidade na obra poética de António Ramos Rosa.

Investigador como membro integrado do IELT / CEIL-Centro de Estudos sobre o Imaginário Literário da Universidade Nova de Lisboa e Professor, foi coordenador científico de dois cursos no Instituto Piaget, tem publicações dispersas em revistas e antologias de poesia de cuja edição foi responsável como Tempo Migratório (Limiar) ou  18 + 1 Poètes de Langue Portugaise (Chandeigne-Instituto Camões).

Autor de três livros de poesia e um de contos, assinou a programação, a curadoria e a gestão de projectos culturais internacionais (artes plásticas, cinema e literatura): Portugal e a Europa (Paris em 1994), numa parceria do Centro Georges Pompidou e ARIMAGE; o Festival do Imaginário (1996-1999), com o patrocínio do Ministério da Cultura, da Fundação Calouste Gulbenkian e da Câmara Municipal de Abrantes, a Bienal Internacional do Douro, a Mostra de Arte Contemporânea do Côa, parceria da SOMA com as Câmaras de Trancoso, Mêda e Foz Côa.  É co-fundador do Festival de Poesia de Vila Nova de Foz Côa (1984), com os escritores Egito Gonçalves, E.M. Melo Castro, João Rui de Sousa, da Revista LUSOGRAFIAS e tem sido coordenador científico do Ciclo de Conferências do Côa, inaugurado em 2011 em Vila Nova de Foz Côa com Eduardo Lourenço. 

Principais livros  publicados :    

Philosophie et modernité dans l’oeuvre poétique d’António Ramos Rosa, Paris, Éditions de L’Harmattan, 2013.  (Tese de doutoramento). 

Ética e Alteridade em Primeiras estórias de João Guimarães Rosa, São Paulo, Escrituras Editora, 2013. (Ensaio). 

Língua, barco afectivo, col. Governo Civil da Guarda/Côa-Cultural, Guarda, 1985.  (Poesia). 

Edição e org. de antologias de poesia de autores de Língua Portuguesa, em colaboração:   

Tempo Migratório, org. em col. com Egito Gonçalves, Porto, Ed. Lumiar, 1985. 

Rio Interior, org. em col. com Marília R. Alonso, Porto, Ed. Lumiar, 1986. 

18 + 1 Poètes de Langue Portugaise, org. em col. avec Nuno Júdice e Pierre Rivas,  Paris, Éd. Chandeigne / Instituto Camões, 2000. 

Imaginários de Ruptura - Poéticas Visuais, em col. com Fernando Aguiar, Lisboa, Ed. Piaget, 2002.

 

 
 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano