NICOLAU SAIÃO (poema)
& JOÃO GARÇÃO (pintura)

OFERTA

Este espaço sobrado duma folha

que não era nem poema nem minuto votado

ao silêncio minúsculo de quem procura

qualquer coisa pedra ou animal

dou-o a quem quiser

sem intenções reservadas

e sem qualquer objecto

lá no cimo e ao fundo.

 

Às vezes convém ter

memória engatilhada

na superfície súbita

dos outros

para que a escrita seja

redonda amarga azul

 

e conceda a beleza

- íntima humanidade -

de seis sete palavras

 

bruscas tranquilas leves

sem tragédia ou disfarce.

 

NS

 

(Bom ano novo a todos!)

 
 
 

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano